Vacina contra o Sarampo! Procure um Posto de Saúde para a sua imunização e a da sua família

Vacina contra o Sarampo! Procure um Posto de Saúde para a sua imunização e a da sua família

O Ministério da Saúde alerta para uma possível epidemia de Sarampo. O Sarampo não tem cura e não existe tratamento específico para a doença. É muito importante que o combate seja feito através da prevenção com vacina. Em nosso estado, foram identificados alguns casos; a população precisa se conscientizar da importância da prevenção da doença. Apenas 33% do público alvo recebeu a vacina, a meta era de 95%.

O que é Sarampo?

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, transmitida pela fala, tosse e espirro e extremamente contagiosa, mas que pode ser prevenida pela vacina. Pode ser contraída por pessoas de qualquer idade. As complicações infecciosas contribuem para a gravidade da doença, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade.

Sintomas

  • Febre alta, acima de 38,5°C;
  • Dor de cabeça;
  • Manchas vermelhas, que surgem primeiro no rosto e atrás das orelhas, e, em seguida, se espalham pelo corpo;
  • Tosse;
  • Coriza;
  • Conjuntivite;
  • Manchas brancas que aparecem na mucosa bucal 1 a 2 dias antes do aparecimento das manchas vermelhas.

Sintomas por período:

Período de infecção: dura cerca de sete dias, quando surge a febre, acompanhada de tosse seca, coriza, conjuntivite e fotofobia. Do 2° ao 4° dia desse período, surgem as manchas vermelhas, quando se acentuam os sintomas iniciais.

Remissão: caracteriza-se pela diminuição dos sintomas, com declínio da febre. A erupção na pele torna-se escurecida e, em alguns casos, surge descamação fina.

Período toxêmico: o sarampo é uma doença que compromete a resistência do hospedeiro, facilitando a ocorrência de superinfecção viral ou bacteriana.

A ocorrência de febre, por mais de três dias, após o aparecimento das erupções na pele, é um sinal de alerta, podendo indicar o aparecimento de complicações, sendo as mais simples: infecções respiratórias; otites; doenças diarreicas e neurológicas.

Transmissão do Sarampo

A transmissão do sarampo ocorre de forma direta, por meio de secreções expelidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar. Por isso, o elevado poder de contágio da doença. A transmissão ocorre de quatro a seis dias antes e até quatro dias após o aparecimento das manchas vermelhas (exantema). O período de maior transmissibilidade ocorre dois dias antes e dois dias após o início do exantema. O vírus vacinal não é transmissível.

Prevenção do Sarampo

A vacinação contra o sarampo é a única maneira de prevenir a doença.

Esquema Vacinal

Crianças de 12 meses a menores de 5 anos de idade: uma dose aos 12 meses (tríplice viral) e outra aos 15 meses de idade (tetra viral).

Crianças de 5 anos a 9 anos de idade que perderam a oportunidade de serem vacinadas anteriormente: duas doses da vacina tríplice

Adolescentes e adultos até 49 anos:

  • Pessoas de 10 a 29 anos - duas doses das vacina tríplice
  • Pessoas de 30 a 49 anos - uma dose da vacina tríplice viral

Quem comprovar a vacinação contra o sarampo conforme preconizado para sua faixa etária, não precisa receber a vacina novamente.

Não devem receber a vacina:

  • Casos suspeitos de sarampo
  • Gestantes
  • Menores de 6 meses de idade
  • Imunocomprometidos

Tratamento do Sarampo

Não existe tratamento específico para o sarampo. É recomendável a administração da vitamina A em crianças acometidas pela doença, a fim de reduzir a ocorrência de casos graves e fatais. O tratamento profilático com antibiótico é contraindicado.

Para os casos sem complicação, manter a hidratação, o suporte nutricional e diminuir a febre. Muitas crianças necessitam de quatro a oito semanas para recuperar o estado nutricional que apresentavam antes do sarampo. Complicações como diarreia, pneumonia e otite média devem ser tratadas de acordo com normas e procedimentos estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

Definição de um caso suspeito de Sarampo

Pessoa com febre e manchas avermelhadas, acompanhado de tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite, independentemente da idade e situação vacinal ou todo Indivíduo suspeito com história de viagem ao exterior nos últimos 30 dias, ou de contato, no mesmo período, com alguém que viajou ao exterior.

Fluxo de ações para caso suspeito de sarampo

Fluxo de ações para caso suspeito de sarampo

Fonte: http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/sarampo


Publicado em Saúde | em 15 de Janeiro de 2019

Compartilhe


Deixe o seu comentário



Posts recomendados



Calcule seu IMC


Arquivos


Curta o VIVA ASSIM




SIGA O BLOG VIVA ASSIM

Receba os melhores conteúdos e novidades

ASSIM SAÚDE